Fuga ilusória

Orson Peter Carrara

A recente novela O Clone reacendeu o debate sobre as drogas. Esta ameaça real à segurança da sociedade requer firmeza dos pais, autoridades e de toda a sociedade.

Como se sabe, as drogas provocam uma reação de prazer, reduzem a ansiedade e produzem o alheamento da realidade ou ilusões com relação ao mundo que cerca o usuário. Elas produzem efeito imediato: caindo na corrente sanguínea chegam ao cérebro onde liberam as endorfinas, a substância responsável pela sensação de prazer. Mas depois de algum tempo caem os níveis de endorfinas e o que era prazer torna-se depressão, o que leva a pessoa a consumí-las novamente, para repetir a sensação prazerosa. É a dependência. Da mesma maneira, elas agem sobre os circuitos cerebrais e seus terminais químicos, provocando ao longo do tempo distúrbios de comportamento e raciocínio, bem como prejudicando o desempenho psicológico, a memória e outros prejuízos mais graves.

Como causa deste grave problema social, podemos citar: a) a família, pois alguns jovens buscam nas drogas a mãe ou o pai que nunca tiveram; aqui situa-se toda desestrutura familiar em sua generalidade e particularidades próprias de cada lar. b) o meio, aí considerados a escola, os amigos, a miséria moral e social. É onde surge a pressão dos grupos e atinge os inseguros, revoltados, os que não tem uma base religiosa, os que não recebem orientação, os que não sabem dizer não, os que buscam aventuras, os que desejam ser aceitos pelos demais, etc.;

Se quisermos, porém, situar a causa primeira, não é difícil. É o egoísmo, o pai de todos os vícios, de todas as misérias morais e sociais. É no combate desse mal maior que precisamos concentrar nossas atenções, pois ele é o gerador de todos os graves problemas que assolam o mundo, inclusive o das drogas.

Se algo podemos dizer aos pais ou utilizar como debate perante o meio social em que nos situamos, resumimos:
1) Usuários ou traficantes são enfermos necessitados de orientação;
2) Solução está na educação, desde a primeira infância.

Destes dois itens, podemos desdobrar uma série de debates, argumentos e considerações infindáveis de orientações. É exatamente na família que está a base de mudança do difícil quadro social. Pais e filhos necessitam criar ambiente moralizado em casa, desde a conversação até os lugares onde freqüentam em conjunto. Começa pela expulsão do péssimo exemplo do cigarro, da cerveja, do álcool e vai até a firmeza de considerar-se a religião (seja qual for) como amiga e alimento indispensável no cotidiano. Os princípios morais e religiosos ESTÃO DISTANTES de serem enfeites de prateleiras e observados como mera obrigação de fim de semana, mas apresentam-se como ÚNICA SOLUÇÃO para melhora da sociedade moderna.

As fugas pelas drogas, ilusória - diga-se de passagem - refletem a imaturidade criada em casa com o desprezo aos valores que a sociedade diz seguir... O resultado aí está, exigindo correção. E tudo como conseqüência ou efeito natural de uma postura baseada no egoísmo, fruto do materialismo que mina uma sociedade iludida com o ganhar e o ter.