Pilares da educação

Orson Peter Carrara

O jornal MUNDO ESPÍRITA*, de novembro de 2002, publicou excelente artigo de Sandra Borba Pereira (RN) com o título Os quatro pilares da educação para o século XXI e o Evangelho. Referido trabalho está elaborado de forma bastante didática e facilita sua abordagem através de palestra ou aula.

A matéria é fruto de relatório da Comissão Especial em Educação da UNESCO, sob a coordenação de Jacques Delors e intitulado Educação, um tesouro a descobrir. O documento da UNESCO constitui-se em valioso instrumento "norteador para pessoas, instituições e nações que vêem na ação educacional o caminho do real progresso das sociedades em particular e da humanidade", como pondera a autora do texto, que continua: "... é rico material para as reflexões tão necessárias em momentos tão graves como os que vivemos em que se impõe a urgência de uma educação para todos, comprometida com o bem-estar sócio-moral de todos os habitantes da Terra...".

E a autora destaca o capítulo 4 do citado relatório, que aborda os quatro pilares de uma educação para o século XXI, associando-os e identificando-os com algumas máximas de Jesus. São os seguintes:

Quatro pilares: a) Aprender a conhecer = associado com a máxima Conhecereis a verdade e ela vos libertará (Jo, 8:32); b) Aprender a fazer = associado com o ensinamento Faze isso e viverás (Lc, 10:28); c) Aprender a conviver = identificado com o preceito Fazei aos outros o que gostaríeis que eles vos fizessem (Mt, 7:12) e d) Aprender a ser = perfeitamente identificado com a máxima Sede Perfeitos (Mt, 5:48).

O primeiro deles indica o interesse, a abertura para conhecimento, que verdadeiramente liberta da ignorância; O aprender a fazer, segundo item, mostra a importância da coragem de executar, de correr riscos, de errar mesmo na busca de acertar; no terceiro temos o desafio da convivência que apresenta o respeito a todos e o exercício de fraternidade como caminho do entendimento e finalmente o último deles, o Aprender a ser, talvez seja o mais importante. Está explícito aí o papel do cidadão, o objetivo de viver.

A autora apresenta como conclusão quatro itens de nossa adesão à proposta educacional de Jesus, alicerçada assim: a) no respeito à pessoa; b) no respeito às leis divinas; c) na certeza da possibilidade de vida abundante para todos e d) na prática educativa baseada no diálogo.

Como notam os leitores, a matéria é extremamente didática e possibilita amplos desdobramentos para comentários, palestras, aulas e estudos. Por esta razão, recomendamos aos leitores o texto na íntegra, que pode ser obtido com aquele jornal através do site acima citado.

*Editado pela Federação Espírita do Paraná. Contatos pelo telefone 0 xx 41 223-6174 ou site mundoespirita.com.br