Vitória da humildade

Orson Peter Carrara

Chico Xavier retornou à pátria de origem. Morte serena e calma, como foi sua vida, apesar de uma vida cheia de dificuldades e duras provas.

Como a mídia tem divulgado, milhares de pessoas, entre autoridades, amigos, caravanas de várias cidades do Brasil, imprensa e muitos amigos, estiveram em Uberaba no velório. Realmente, em torno de 3.000 pessoas por hora estiveram na sede do Grupo Espírita da Prece. Ali estive, como repórter da revista e jornal onde trabalho, e pude verificar o que Chico conquistou no coração do Brasil com a semeadura de bondade que fez durante toda a vida.

Em breve resumo para informação do leitor, Chico (como era conhecido) nasceu em Pedro Leopoldo-MG aos 2 de abril de 1910. Médium natural, de múltiplos recursos medianímicos, publicou em 1932 o livro Parnaso de Além Túmulo, reunindo consagrados poetas da história, cujos estilos literários foram confirmados por críticos e estudiosos. Ao longo de sua vida de renúncia e sacrifícios em favor do próximo, psicografou 415 livros que foram editados por diversas editoras, traduzidos para inúmeros idiomas, cujos direitos autorais sempre foram doados para instituições de caridade. Está em Uberaba desde 1959, onde também atendeu milhares de pessoas durante todo o tempo, principalmente amparando os pobres e desvalidos e também psicografando mensagens de pessoas falecidas, cujo teor de consolo amparou muitas mães, esposas, filhos e amigos. Projetou-se, principalmente, a partir de 1971 com o programa Pinga Fogo da extinta Rede Tupi de Televisão.

Independente do caráter religioso, sua vida foi uma vida de exemplos, de absoluta humildade e foi marco na história da Doutrina Espírita no planeta. No próximo dia 8 de julho, completaria 75 anos de atividades mediúnicas, além de comemorar-se em julho também os 70 anos da edição de seu primeiro livro.

Tamanha é sua humildade que partiu num dia de festa para o Brasil, como demonstrando a vontade de não aparecer, de não chamar a atenção. Segundo comentários, ele disse há poucos dias que partiria num dia muito especial para os brasileiros.

Durante o velório foi impressionante o número de coroa de flores que chegavam de todo o Brasil, de depoimentos e entrevistas de amigos, conhecidos e personalidades marcantes da realidade brasileira enfocando a vida e obra deste grande homem, cidadão verdadeiramente que se apresentou, cumpriu seu papel e parte com a tarefa cumprida, como mensageiro da paz. O Estado de Minas Gerais decretou luto oficial de três dias e o município de Uberaba decretou feriado municipal.

Venceu, porém, a humildade. Humildade de um autêntico cristão! Sua vida deixou rastros luminosos para o caminho humano.

Não há sucessores. Ele foi único, incomparável! Exemplo de cidadão, de homem, de cristão.

Obrigado Chico! Obrigado Francisco Cândido de Paula Xavier!